Alunos do Secundário na Comunidade de Taizé (França)

Publicado em quarta, 15 março 2017, 09:00

 

No dia vinte e cinco do mês de fevereiro, vinte alunos da Escola Secundária do Entroncamento partiram em direção à Comunidade Ecuménica de Taizé (França), acompanhados pelos professores Lurdes Gameiro e Adriano Cordeiro. Os alunos, inscritos na disciplina de EMRC, pertenciam aos 10º, 11º e 12º anos, uns foram pela primeira vez, e outros repetiram a experiência que tinham vivido em anos anteriores.

A viagem de autocarro decorreu sem turbulências, mas longa! Cerca de 20 horas de viagem! Este ano a chegada foi no sábado à noite no momento da oração o que trouxe mais calma e serenidade.

O Grupo do Entroncamento era constituído por alunos do Entroncamento, Almeirim, Chamusca, Torres Novas e Rio Maior. Durante a semana, todos interagiram uns com os outros e criou-se espírito de grupo.
 

Todos os dias há três pequenas orações, uma ao início da manhã, outra antes do almoço e a última depois de jantar. Nestas orações é dada a oportunidade de relaxar um pouco e refletir bastante. Nesses momentos de oração, os irmãos e toda a comunidade junta-se e enche a igreja da comunidade, que por sinal é enorme, num silêncio incrível.

Este ano puderam participar nos rituais do início da quaresma com a celebração das cinzas e a adoração da cruz que foi bastante vivida. Os dias passaram depressa com momentos bons e outros ainda melhores.

Esta semana vai perdurar na memória de todos os que participaram como sendo uma semana de reflexão, recolhimento, convívio e a amizade!

 

Aqui ficam alguns testemunhos dos alunos que participaram:

“Como era a minha primeira vez em Taizé não sabia muito bem o que me esperava, mas ia com algumas expetativas. Quando cheguei a Taizé percebi que era melhor do que me tinham contado. Para mim a melhor oração era a da noite, era uma oração muito especial na qual conseguimos refletir sobre muitos assuntos. Consegui criar boas amizades e consegui perceber que não precisamos de muito coisa para se estar bem, que temos de dar mais valor às amizades e que não devemos ligar tanto a bens materiais. Espero poder regressar a Taizé, o que se sente lá é inexplicável, foi sem dúvida das melhores experiências de sempre.” (Maria Inês Luiz - 10ºBCT)

“Taizé para foi uma experiência bestial e única a qual desejo repetir! Foi uma viagem onde pude sentir inúmeros sentimentos felicidade, alegria, alivio, etc…A semana em Taizé conseguiu facilmente superar as expetativas que tinha. Foi um lugar onde consegui conhecer imensas pessoas descansar e refletir. Esta viagem foi superimportante, pois eu antes de ir encontrava-me um pouco em baixo e após experienciar esta viagem conseguir melhorar e superar os problemas que tinha! Para mim acho que o único ponto baixo da viagem foi a comida, mas com os avisos certos fomos (eu e os meus colegas) capazes de contornar o problema! Adorei esta viagem e espero que ir novamente para o ano! (Tiago Borges - 10ºCSE)

“Para mim Taizé é um lugar calmo e tranquilo. É uma comunidade internacional com pessoas diferentes. Durante a semana podemos pensar sobre todas as coisas. Taizé também é um lugar, onde as pessoas podem aprender muitas coisas sobre si mesmas. “Obrigada” por me dar a conhecer este lugar fantástico!” (Friederike Antkowiak – 11ºLH A – aluna do programa Intercultura AFS)

“Para a visita a Taizé, as minhas perspetivas eram bastante elevadas. Tinha a noção de que iria adorar sem dúvida aquele mundo religioso. Pude assim conhecer pessoas novas de diferentes partes do país, e do mundo, tendo também a noção de que o meu dia-a-dia iria ser completamente diferente de que o habitual. Tinha como objetivos: conhecer novas pessoas, conhecer um novo lugar, e abrir um pouco mais os meus horizontes. Todos esses objetivos foram alcançados com sucesso, querendo assim sem dúvida alguma, repetir esta magnífica experiência.” (Ana Reis – 3ºA TAS)

“Quando se pensa em Taizé, pensa-se nas orações, que são “uma seca” que só se fala de Deus… Mas, Taizé é bem diferente de ser uma seca! É lá que se podem fazer novas amizades que ficam para vida e é um local onde todos são bem-vindos e respeitados. É, também, onde podemos fazer uma pausa do nosso dia-a-dia, para refletir e encontrarmo-nos a nós próprios. Podendo fazê-lo em silêncio, e sem ter que contactar com os outros. Eu tive a possibilidade de experienciar, uma semana, por duas vezes, nesse local acolhedor, simpático e vivo. No primeiro ano, não sabia ao certo a sensação que teria quando chegasse a Taizé, mas tive uma sensação de paz…lá consegui esquecer o ritmo a que ando diariamente e pude pensar mais em mim e na minha vida, não estando dependente dos outros. No segundo ano, não tinha qualquer perspetiva, de como seria a semana, pois penso que não devemos de estar à espera de algo que pode não acontecer…e não tinha mesmo a noção de qual seria…senti-me em casa. Mas o que acontece a uns pode não acontecer aos outros… a melhor maneira de saber realmente “o que é Taizé” é ter a possibilidade de experienciar esta vivência única. Eu, se mais tarde poder ir outra vez irei…e tu?” (Catarina Gameiro – 3ºA TAS)

Visitas: 677